17 de jul de 2015

Resenha - O Ladrão de Raios

SINOPSE
E se os deuses do Olimpo estivessem vivos em pleno século XXI? E se eles ainda se apaixonassem por mortais e tivessem filhos que pudessem se tornar heróis? Segundo a lenda da Antiguidade, a maior parte deles, marcados pelo destino, dificilmente passa da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade.
Percy Jackson está para ser expulso do colégio interno... de novo. É a sexta vez que isso acontece. Aos doze anos, esta é apenas uma das ameaças que pairam sobre este garoto, além dos efeitos do transtorno do déficit de atenção, da dislexia... e das criaturas fantásticas e deuses do Monte Olimpo, que, ultimamente, parecem estar saindo dos livros de mitologia grega do colégio para a realidade. E, ao que tudo indica, estão aborrecidos com ele.
Vários acidentes e revelações inexplicáveis afastam Percy de Nova York, sua cidade, e o lançam em um campo de treinamento muito especial, onde é orientado para enfrentar uma missão que envolve humanos diferentes - metade deuses, metade homens - além de seres mitológicos. O raio-mestre de Zeus fora roubado, e é Percy quem deve resgatá-lo.
Com a ajuda de novos amigos - um sátiro e a filha de uma deusa - Percy tem dez dias para reaver o instrumento de Zeus, que representa a destruição original, e restabelecer a paz no Olimpo. Para conseguir isso, precisará fazer mais que capturar um ladrão. Terá de encarar o pai que o abandonou, resolver um enigma proposto pelo Oráculo e desvendar uma traição mais ameaçadora que a fúria dos deuses.
Tive uma súbita vontade de acompanhar a história de Percy Jackson depois de acompanhar o filme e nossa, simplesmente amei. Ambos os trabalhos são muito diferentes entre si, como adaptação o filme deixa muuuito a desejar, mas ainda assim eu considero-o bom, pois se não fosse por ele eu nunca me interessaria em conferir O Ladrão de Raios.

A capa é bem simples em minha opinião, uma figura que nos remete ao título e ao enredo, e que acima de tudo possui um ar bastante infanto-juvenil... E por falar em infanto-juvenil, este foi o fato que inicialmente me deixou receosa em começar a leitura, já que minhas aventuras com outros livros adolescentes foi bastante decepcionante.

Demorei um pouco para sair dos primeiros capítulos, não estava entendendo nada e fiquei bem insegura sobre o que iria encontrar ali, mas depois percebi que a história não estava “confusa” porque o livro é mal construído, estava confusa porque o enredo é em primeira pessoa e o próprio Percy estava confuso com os estranhos acontecimentos... Depois que o personagem começou a tomar ciência do que acontecia, eu também comecei a entender e devorei o livro como se não houvesse amanhã.

Nossa! Realmente não sei o que dizer! Cada coisa da mitologia, cada ideia transmitida pelo nosso ilustre Riordan foi muito interessante, criativa e bem colocada na história. Adoro mitologia grega e ao ver os deuses e seres mitológicos implantados em pleno século XXI, não pude deixar de me admirar com o interessante resultado dessa mistura.

Confesso que para um livro infanto-juvenil – ou seja, que não corresponde necessariamente a minha idade – a história de Percy me deixou fascinada. Adorei o acampamento meio-sangue, os duelos com monstros mitológicos, a forma como Percy e Anabeth se tornaram realmente amigos, as explicações no decorrer do enredo sobre Grover e outros personagens... Foi tudo realmente interessante.

O livro tem uma boa escrita, o personagem evolui pouco a pouco e apesar de descobrir ser um semi-deus, Percy não acredita na existência dos deuses de uma hora para outra, o que deixou as coisas mais naturais em minha opinião. A única falha que encontrei na forma de escrever de Riordan, é que para uma narrativa em primeira pessoa certas coisas foram descritas de forma muito exagerada, como se um garoto de doze anos realmente pudesse sentir tantos aromas diferentes e distinguir marcas de ternos caros... Ok, ele tem poderes especiais, mas não é para tanto, isso não ficou apropriado, porém, também não é algo que chega a atrapalhar o andamento da história.
Opinião Final: adorei o livro, o enredo ultrapassou em dobro as minhas expectativas e com certeza vou querer conferir o próximo livro.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário