6 de jun de 2016

Resenha - Um Dia

SINOPSE
Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro.
Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas - vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois.
Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.
Diferente do que costuma acontecer comigo (rsrs), não assisti ao filme do Um Dia antes de começar a leitura, então não sabia meeeesmo o que esperar desta obra. Eu já o tinha na estante a bastante tempo, mas recentemente entrei num Grupo de Leitura que uma amiga criou e como o livro escolhido para a leitura conjunta era este, deixei o que estava lendo de lado para - finalmente - começar a lê-lo.

O livro tem uma estrutura diferente, narrando somente um dia do ano dos personagens - o dia 15 de julho -, mas este acabou sendo o principal fator por não ter me envolvido bem com os personagens. Os acontecimentos descritos nos "flashes" são desinteressantes na maior parte do livro e como não há uma linha contínua para conhecermos bem os personagens, eles acabaram não me cativando.

A história em si conta como Dexter desperdiçou a sua vida e como Emma esperou - só Cristo sabe porquê - por ele a vida inteira. Não achei isso bonito. Dexter se drogou e encheu a cara durante a maior parte do livro e apesar de manter uma certa amizade com Emma, nunca demonstrou interesse amoroso por ela durante vários capítulos (o que, de acordo com o sistema do livro, acaba sendo vários anos).

Achei deprimente uma personagem bacaninha ser fadada a esperar anos e anos por um babaca, é muita falta de amor próprio. O papo de que no fundo eles se amavam não colou pra mim. O casal possuía uma amizade até legal de se ver, mas como casal amoroso eram insossos e transbordavam tristezas o tempo todo, como se não existissem motivos para ficarem ou serem felizes...

Achei os capítulos enfadonhos e fiz um esforço enorme para terminar a leitura, fui até o final por questão de honra mesmo, pois pensei diversas vezes em largar o livro. Particularmente falando, me recuso a considerar esta obra como um romance, pois até mesmo depois que o casal se acerta, ele não se dão bem.

É uma leitura difícil de engolir.
É uma história deprimente.
Mensagem: É difícil para mim retirar uma mensagem de um livro que evidentemente não gostei, mas acredito que a grande lição que esta história me trouxe foi: AME-SE. A falta de amor próprio deu a Emma uma vida infeliz, sem grandes perspectivas e a subjugou a uma torturante espera por um homem que não ligou para ela durante anoooos... Então esta é a mensagem que retiro para mim e que recomendo a você, leitor, ame-se! A falta de amor próprio te condena a uma vida de fiascos, de amores pobres e as vezes não correspondidos, te transforma em uma "Emma". Você, seja homem ou mulher, merece somente as coisas boas dessa vida, mas para enxergar isso você precisa aprender a se amar primeiro, aprender a não se menosprezar. AME-SE, é tudo o que lhes peço...
Opinião Final: Não gostei... Queria que tivesse sido uma grata surpresa, mas achei o livro maçante e pouco envolvente. Romances que se passam em nossa atualidade não costumam me atrair muito, mas já li bons romances e infelizmente, este não está na lista.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário