14 de set de 2016

Resenha - Garota Exemplar

SINOPSE
AMY DUNNE DESAPARECEU. No dia de seu quinto aniversário de casamento, seu marido, Nick, encontra a casa revirada e nem sinal da esposa. Tudo indica se tratar de um sequestro, e Nick imediatamente chama a polícia, mas logo as suspeitas recaem sobre ele. Exibindo uma estranha calma e contando uma história bem diferente da relatada por Amy em seu diário, Nick parece cada dia mais culpado, embora continue a alegar inocência. À medida que as investigações se desenrolam, porém, fica claro que a verdade não é o forte do casal.
Alternando entre os pontos de vista de Nick e Amy, Garota Exemplar - um thriller que conquistou público e crítica e se tornou um best-seller mundial - traça o retrato cruel de como mentiras podem construir um relacionamento. E também destruí-lo.
Ganhei o livro da minha irmã caçula, de aniversário, após ela assistir a adaptação cinematográfica e jurar de pés juntos que a história é sensacional. E ela estava certa, o livro é SENSACIONAL... Já comecei gostando da capa, que junto com a sinopse me passaram um ar de mistério super bacana e eu curto um bom mistério. Comecei a leitura com expectativas altas e Gillian não me decepcionou.

O livro conta a história de Nick e Amy, que estão comemorando seu 5º aniversário de casamento. Entretanto, Amy desaparece, deixando apenas uma casa revirada para trás... A partir daí, temos uma comoção regional, com direito a coletiva de imprensa, central de voluntários e tudo mais, para achar a esposa perdida. Porém, com uma atitude bastante incomum e comprometedora, e uma série de mentiras para a polícia, Nick passa a ser o principal suspeito desse caso.

Amy e Nick Dunne, na adaptação cinematográfica

A história é dividida em três partes, intituladas: "Rapaz perde garota", "Rapaz encontra garota", e, "Rapaz consegue garota de volta (ou vice-versa)". Os capítulos são divididos em pontos de vista, de Nick e Amy respectivamente, então, hora vemos a história pelos olhos dele e hora pelos olhos dela. Infelizmente, não posso relatar nada sobre as partes sem dar SPOILER, então vou apenas dizer que a escrita de Gillian é muito boa e que as três partes são muito eletrizantes.

A autora consegue descrever as coisas na medida certa, fazendo a leitura fluir super bem. A trama é intensa, tornando impossível não escolher um lado ou um culpado, outro ponto fortíssimo do enredo é que os acontecimentos não estão ali a toa, muito pelo contrário, tudo tem um motivo e mesmo que você (leitor) deixe passar algo ou ache que tal coisa é inútil, mais a frente perceberá que tudo está "ligado".

Em Garota Exemplar, as aparências enganam e nada é o que parece ser. Gillian brinca com sua lógica, com seu conceito de bem e mal, de culpado e inocente, e mostra-nos até que ponto pode chegar a maldade e a obscuridade da mente humana (é de arrepiar!). Não falarei dos personagens individualmente, pois como a sinopse relata "a verdade não é o forte do casal" e não quero arriscar falar demais aqui.

Para mim, o único ponto negativo do livro são as palavras obscenas/vulgares, o que torna o livro um pouco inapropriado para idades menores. Confesso que não gosto deste tipo de vocabulário, acredito que a autora poderia ter dito a mesma coisa e feito as mesmas insinuações, utilizando palavras menos grotescas. O enredo também contém palavrões, mas a julgar pelo estresse a que os personagens são submetidos, considerei plausível para demonstrar os "nervos a flor da pele", não me senti incomodada.

Já sobre o final, confesso que detestei, rsrsrs. Fiquei muito irada com o desfecho da história, inconformada e chocada também descrevem bem como me senti ao terminar a leitura de Garota Exemplar. É claro que isso não desmerece o espetáculo como um todo, apenas reflete que meu senso de justiça foi contrariado 😂😂

Vale a pena acompanhar esta história!!
Mensagem: Garota Exemplar fala bastante sobre mentira e maldade.
Sobre a mentira, me levou a pensar sobre o deixar de ser você mesmo para aderir a padrões, para ser o que as pessoas esperam que você seja e não o excluído do grupo, deixando assim que a vida se transforme numa grande mentira. Mas até quando é possível sustentar esta mentira? Até que ponto conseguimos manter esta máscara? Não podemos viver uma mentira, isso é desonesto com as pessoas ao nosso redor e prejudicial para o seu próprio caráter, que se perde pouco a pouco. "Não viva de aparências, elas mudam. Não viva de mentiras, elas são descobertas. Não viva pelos outros, viva por você(Bob Marley)... Já sobre a maldade, o livro me levou a refletir sobre o fazer justiça com as próprias mãos, um ato que na maioria das vezes revela a pior parte do ser humano. Vi uma frase em um site bastante interessante sobre isso: "A humanidade é propensa ao mal e se nos deixarmos guiar pelos nossos instintos, as consequências serão desastrosas [...]. Vencer nosso inimigo interior é uma luta diária. Existem momentos em que nos sentimos derrotados: sentimos raiva, falamos mal dos outros, olhamos com maldade e nos deixamos levar pelos nossos instintos. Isso prejudica a nossa relação com os outros, o nosso desejo de felicidade e a vontade de viver". Sendo assim, mesmo que determinado acontecimento seja terrível e a justiça se mostre falha, não podemos deixar que pensamentos de justiça ou punição com as próprias mãos nos tomem a mente, pois isso só alimenta o nosso pior lado.
Opinião Final: Adorei!! Garota Exemplar é um livro muito eletrizante, recomendo... E ao ler, não espere o óbvio, pois o óbvio não existe para Gillian Flynn.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário