3 de set de 2016

Resenha - A Maldição do Tigre

SINOPSE
Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco.
Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele.
O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço.
Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.
A Maldição do Tigre é o primeiro livro de uma saga com mesmo nome, tem uma capa maravilhosa e de muito bom gosto. Aqui, Kelsey (Kells) é aquela protagonista teen que aborda vários clichês da literatura juvenil: é órfã, se envolve com um homem "perfeito", inteligente/linda/corajosa porém se acha um Shrek, nunca namorou e já é cheia de medos do romance não dar certo... Teoricamente falando, o livro tinha tudo para me desagradar com uma protagonista adolescente chiliquenta e um romancinho monótono, mas na prática, a história me arrebatou de uma forma impressionante devido ao maravilhoso e ilustre TIGRE.

Sim, eu deixo a glória do enredo todinha com Ren, o tigre. Amei a ideia do tigre amaldiçoado e a inserção da cultura indiana no enredo, Colleen teve uma sacada tão incrível para compor esta história que transformou a personagem clichê em algo importante na história, deixando-a participar de forma fluente e atuante nos acontecimentos. Os clichês continuam ali, é claro, e ficam mais nítidos quando o romance começa a aparecer, mas a trama do livro é tão interessante que não dá para parar de ler!

Colleen tem uma escrita gostosa de acompanhar, porém, achei que pecou em descrever coisas bobas e pincelou os acontecimentos que eram realmente importantes para o andamento da história, deixando muitas lacunas na cabeça do leitor. A aventura de Kelsey na caverna, por exemplo, passou rápido demais para que pudesse ser aproveitado, acho que poderia ter sido melhor explorada já que encontrar a profecia de Durga era tão importante para libertar Ren da maldição.

A apresentação da deusa Durga foi outro ponto que deixou a desejar. Como a mitologia hindu é a base da trama, eu esperava conhecer a deusa melhor antes da aventura simplesmente explodir na minha cara. Acabei não conseguindo entrar em sintonia com Durga porque mal a conhecia, não sei nem porque Kells tornou-se sua escolhida. Acabei me lembrando da deusa Nyx da Série A Morada da Noite neste ponto da história, ela me foi apresentada de maneira bem mais apropriada que Durga, o que me fez entender "quem" ela era e "o que" ela queria de sua protegida, consequentemente me fazendo gostar dela.

Não me levem a mal. Eu gostei bastante da história, a forma de escrever da autora foi o único defeito da livro, em minha opinião; ela não soube priorizar a trama em seus parágrafos e isso acabou gerando detalhes desnecessários sobre a maquiagem, a roupa e a comida que Kelsey estava comendo. Este único defeito acabou pesando um pouco, mas de forma alguma desmerece a ideia genial que ela teve para o enredo.

Gostei dos personagens, em especial do Sr. Kadam (que é um doce) e de Ren (que é apaixonante). Kishan, o irmão também amaldiçoado do tigre branco, apesar de ter uma personalidade um tanto boçal, também se mostra um personagem muito bacana; Kells é uma boa personagem na medida do possível, mas achei que seus clichês a deixaram meio mala e irritante em alguns momentos.

Também curti a forma como o romance se desenvolve entre Kelsey e Ren, mas tive a ligeira sensação de que um triângulo amoroso surgirá em breve na saga... O final da história me enfureceu um pouco, detestei as atitudes de Kelsey do meio para o final do livro e não achei suas justificativas convincentes para fazer o que ela fez no encerramento da história 😠, entretanto, isso não diminuiu meu agrado com A Maldição do Tigre, só me fez achar que a personagem é meio lesada.
Mensagem: Ao meu ver a verdadeira mensagem deste livro está em: dar a volta por cima. Kelsey perdeu os pais em um momento anterior a história e apesar do choque e da dor da perda, ela teve que aprender a seguir sem eles, em algum momento teve que contornar sua dor para continuar a viver a própria vida. Agora imagine se ela não tivesse conseguido retomar a sua vida, se não tivesse conseguido superar a morte dos pais? Certamente não se adaptaria tão bem a família adotiva e a probabilidade dela querer trabalhar em um circo consequentemente seria pequena, o que a impediria de conhecer Ren... E falando no tigre, ele é outro exemplo desta bela mensagem. Depois do incidente que acarretou sua maldição e de ser aprisionado no corpo de um tigre por 300 anos, suas esperanças de voltar a forma humana já estavam escassas e sua humanidade estava se perdendo, até o momento em que Kelsey surgi e o faz querer se tornar homem outra vez, sua esperança se acende e uma nova vontade de superar a maldição invade seu coração... Eu gostei da mensagem implícita na história, pois por mais difícil que seja o problema, por maior que seja a dor, o ser humano é forte e realmente capaz de dar a volta por cima.
Opinião Final: A ideia da história é genial!!! Os clichês da protagonista e a forma de escrita da autora pesam em determinados pontos, mas no geral este é um livro que realmente merece ser lido...
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário