16 de jan de 2017

Resenha - A Ovelha e o Dragão, Os Escolhidos

SINOPSE
A batalha espiritual está presente no mundo o tempo todo, mas nem todas as pessoas têm consciência disso. Para alcançar seus objetivos maléficos e destruidores, os demônios procuram brechas entre os homens, oportunidades que lhes permitam atacar as forças do bem. Destruindo-as, acreditando que poderão vencer Deus, dominar o mundo e instaurar o mal sobre a terra. Assim é a guerra travada no mundo espiritual.
No cenário desta história, a igreja do pastor Carlos está conseguindo resultados muito positivos junto à população da cidade. Muitas pessoas estão voltando a atenção para Deus e para os valores cristãos. Porém, o sucesso da igreja é justamente o que desperta a fúria de demônios que, por causa da barreira criada pelas orações do povo de Deus, não mais têm livre acesso para causar malefícios às pessoas. Por causa disso, os demônios decidem usar os satanistas, seus adeptos, elaborando um plano traiçoeiro e diabólico para destruir a igreja, retomando de volta o terreno perdido.
Em meio a esse conflito, Raquel e Cristiano se conhecem. Ela, filha do pastor Carlos; ele, filho de um rico e influente político da cidade, que está iniciando um grande empreendimento imobiliário. Porém, o que Cristiano não sabe é que seu pai também é obrigado a fazer um pacto com um poderoso demônio que exige que ele destrua Raquel, seu pai e a congregação inteira, retomando assim a liberdade para atuar livremente.
Estava a meses querendo ler este livro, mas nunca o encontrei nas livrarias da minha cidade e nem nos sebos para comprar. Por sorte, coloquei o primeiro livro dA Ovelha e o Dragão como opção de presente num amigo secreto e acabei ganhando não só o primeiro, mas todos os três livros que compõem esta trilogia. 💖

A Ovelha e o Dragão é uma ficção evangélica de gênero romance, mas que em minha opinião, pode ser lido tanto por cristãos como por não-cristãos. No primeiro livro da trilogia, com subtítulo "Os Escolhidos", somos apresentados à Raquel e Cristiano, nossos protagonistas. Raquel é filha de um pastor, que busca seguir sempre o melhor caminho diante do Senhor, tem um amor muito grande por sua família e no início da história, está prestes a ficar noiva de Felipe.

Felipe é outro bom cristão da igreja, um garoto bonito, que sempre foi apaixonado por Raquel e esperou pacientemente até que ela alcançasse suas prioridades de estudo e trabalho, para assim tentar um compromisso. E apesar de Raquel não amá-lo de verdade, como uma mulher ama um homem, ela acredita que ele é o homem certo para sua vida e que tudo dará certo no final, que serão felizes.

Do outro lado da história temos Cristiano, que detesta seu próprio nome, acha os cristãos idiotas e visa apenas usufruir do melhor que o mundo material tem a lhe oferecer. Cristiano trabalha com seu pai e juntos pretendem assumir um empreendimento que lhes renderá muita fortuna e fama, entretanto, ambos têm medo do investimento não dar certo, o que os leva a buscar "ajuda espiritual".

Através do pai, Cristiano é inserido na Igreja dos Escolhidos, uma igreja que ele não conhecia muito bem, mas que lhe garantia sucesso nos negócios. Ali, através de um pacto de sangue, ele recebe Coulobre (o dragão destruidor) como seu demônio guia, tendo como missão principal, destruir a igreja e o pastor Carlos, em troca do sucesso de seu empreendimento e da fortuna, para que a igreja satânica finalmente viesse a crescer naquela cidade.

Entretanto, ao conhecer Raquel, o inesperado acontece a Cristiano: ele começa a se interessar por ela, uma moça linda, porém, prestes a assumir compromisso com outro. A partir daí temos o enredo de A Ovelha e o Dragão, e fiquem tranquilos, pois estes acontecimentos são apenas a ponta do iceberg que você poderá encontrar nessa impressionante história.

Sinceramente, não tenho palavras para descrever este livro e tudo o que ele me fez sentir, sem acabar dando um spoiler enorme. Amei o livro demais! Desde Orgulho e Preconceito que eu não encontro um romance que eu diga: "quero um romance desse pra mim!!!"; e esta história me encantou tanto, que realmente fiquei desejosa de conseguir um amor como o de Cristiano e Raquel (não necessariamente passando pelo que eles passaram, hahaha). O final da minha leitura me deixou com uma tremenda ressaca literária, da qual meu único consolo, é saber que tenho os livros seguintes para saber o que acontecerá com o casal. 💖

Para minha listinha de pontos positivos do enredo, levantei varias coisas de que gostei bastante: destacando primeiramente o amadurecimento dos sentimentos de Raquel e Cristiano, que apesar de parecer "à primeira vista", levou certo tempo para realmente se tornar um amor irrefreável. Cristiano teve que conquistá-la (à sua maneira) e enquanto tentava deixar sua presença marcada na vida dela, ele também se encantava com seu jeitinho recatado e inexperiente. Raquel por sua vez, nunca havia se envolvido amorosamente com ninguém e por sua inexperiência, tentou sufocar as estranhas sensações que ele a fazia sentir, demorando a admitir sua atração e - futuramente - o seu amor por Cristiano. Ao meu ver, foi um crescimento gradual do sentimento, apesar do livro insistir que havia sido amor à primeira vista.

A evolução da história também foi outro ponto que considerei bastante positivo. Percebi que a Renata Martins não teve pressa em nada no seu roteiro, não teve pressa em juntar o casal, não teve pressa de fazer o Cristiano mudar de crença "do nada" e isso deixou a história bastante fluída e natural.

A amizade de Raquel e Ana foi uma das minhas partes preferidas do livro, pois sempre que Ana aparecia, era para me fazer dar boas risadas. Todo mundo tem uma amiga maluca que faz a gente passar vergonha na frente de garotos bonitos, hahaha, e Ana Luísa é este tipo de amiga para a Raquel 😂😂😂 . Gostei bastante da personagem e da cumplicidade de sua amizade, me fez lembrar da minha própria amiga (apesar dela não me fazer passar tanta vergonha, kkk).

Curti muito a estrutura do livro também, achei que foi uma ótima estratégia da autora revezar os pontos de vista (PDV) dos personagem, para que possamos conhecer a mente de ambos. Cada capítulo trás o PDV da Raquel e do Cristiano, sempre nesta ordem; no PDV dela, dei muitas risadas com seu desespero devido as investidas de Cristiano, já que ela é uma garota sem muita experiência com homens e morre de medo de fazer ou de sentir algo que não deveria. E no PDV dele, podemos ver com detalhes o quanto ele despreza os cristão, mas se sente atraído pela beleza de Raquel, também vemos os rituais satânicos da Igreja dos Escolhidos e como os seus pensamentos e maneira de agir vão mudando no decorrer do livro.

Os encontros da Igreja dos Escolhidos são muito bacanas também. É difícil, num livro cristão, encontrarmos o tipo de linguajar que Renata Martins teve coragem de colocar em sua história. Talvez a descrição dela não chegue tão perto do que realmente acontece nos rituais do satanismo, mas ainda assim, sua tentativa deixou os personagens da Igreja dos Escolhidos muito mais "reais" e impactantes.

Se tiver que ressaltar algum ponto negativo, digo que é a correção do livro e alguns vícios na escrita da autora. Por várias vezes encontrei sílabas separadas inapropriadamente, como se tivessem esquecido de retirar o hífen das palavras que não precisavam mais ter as sílabas separadas. Além disso, também encontrei uma ou outra frase com palavra escrita errada, palavrinhas faltando (alguém comeu bola), e diálogos com pontuação faltando, o que acabou misturando a fala do personagem com sua ação, tornando tudo meio confuso.

Sobre a escrita da autora Renata Martins, eu gostei bastante da forma dela escrever e fazer os personagens se expressarem. Contudo, notei que ela possui o vício da reticências, ou seja, utiliza os três pontinhos de forma exagerada e isso me passou uma má impressão, pois este tipo de pontuação sugere continuidade de algo e ao utilizá-lo em excesso, parecia que a autora nunca sabia como terminar seus parágrafos e por isso ficou dando "reticências". Outro ponto um pouco irritante da escrita dela, são as abreviações das palavra "está" e "estou" (virou: tá e tô, respectivamente), que deixaram alguns trechos informais demais para uma escrita: "o que é que você tá esperando?" (pg.32); "Tá esperando completar os sessenta anos pra decidir olhar pra alguém?" (pg.32); "até agora tô entendendo" (pg.49); "Tô te achando tão pálida" (pg.57). Mas esta é uma opinião pessoal, é claro, foi apenas algo que eu observei e não gostei, mas que de forma alguma desmerece esta excelente história.

Ao meu ver, A Ovelha e o Dragão veio para mostrar ao mundo que ficções evangélicas também podem ser legais. Muitos atiram pedras só porque livros desse tipo transmitem uma mensagem de fé cristã, mas se você não tiver preconceito com a religião, tenho certeza que aproveitará a história e achará o romance entre uma cristã e um satanista, bem bacana.☺
Mensagem: A principal mensagem que retirei deste livro, foi, obviamente, religiosa. Renata Martins trabalha com bastante ênfase no tema batalha espiritual e nos dá diversas lições do porquê não conseguimos ser bem sucedidos em nossas lutas diárias. As vezes, deixamos de orar e jejuar por problemas do dia a dia, e não nos damos conta de que estamos deixando de lado nossa principal arma numa batalha no reino espiritual. Na página 49, tem uma frase que me marcou bastante, dita por Waldeck (mestre da Igreja dos Escolhidos) e que ilustra bem a consequência de "deixar de orar e jejuar": "Não é só essa igreja que queremos atacar. Em algumas outras, já possuímos pessoas infiltradas, e muitas já fecharam por causa do nosso trabalho e da 'preguiça' dos crentes. Muitos não se desgastam com batalha espiritual. Preferem abrir mão da luta e igrejas fecham. É isso que queremos!".
Se você é cristão, acredito que o enredo te traz algo no que pensar: sua postura diante da batalha espiritual. Será que você está sendo como a igreja do pastor Carlos, que se levantou em oração e jejum para combater o ataque do mal? Ou você é o tipo de crente descrito na frase do mestre Waldeck?
Agora, se você não é cristão, acho que vale a pena utilizar a experiência de Cristiano para refletir sobre o que você anda escolhendo para a sua vida. O protagonista escolheu seguir um caminho perigoso e só se deu conta disso, quando coisas terríveis começaram a lhe ser cobradas e ameaças lhe foram feitas, caso não cumprisse o que havia sido ordenado. Cuidado com os caminhos que toma, com as escolhas que faz, pois muitas delas (como bebidas e drogas) podem te levar para um caminho sem retorno.
Opinião Final: Livro recomendadíssimo! Entrou para minha lista de favoritos. Ri, me afligi, vibrei, torci, o livro me arrebatou de uma forma encantadora.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário