25 de jan de 2017

TAG - Leituras Destaques 2016


Olá pessoal, sejam bem vindos a mais uma TAG. ☆☆
Pensando no ano que se passou, estive procurando uma tag no Google para que eu pudesse falar (de forma resumida) sobre minhas leituras de 2016. Visitei vários sites e blogs literários, mas não achei nenhuma tag que satisfizesse minhas expectativas.
Diante disso, decidi colocar a mão na massa e fazer minha própria TAG, para destacar à vocês as melhores e piores coisas sobre os livros que li no ano passado. Espero que gostem dos meus destaques de 2016 e se desejarem responder esta questões em seus blogs, não esqueçam de colocar os créditos. ♡
Agora vamos as LEITURAS DESTAQUES 2016: 

1. Total de livros lidos: 
33 no total, li alguns mangás também, mas os manterei fora da conta.

2. Maior livro:
Insurgente (Veronica Roth), com 512 páginas.

3. Menor livro: 
Se Eu Quiser Falar com Deus (Rebbe Nachman de Breslov), com 63 páginas. Não costumo ler livrinhos de bolso, mas como ganhei de brinde em uma troca, resolvi lê-lo.
Total de Livros Lidos Menor livro Maior livro
4. Melhor livro do ano: 
Muito difícil escolher um só, quando se lê pelo menos quatro histórias incríveis que merecem este destaque, hahaha. Mas depois de analisar os pormenores dos quatro livros, percebi que não estaria sendo justa e nem sensata, se não escolhesse Garota Exemplar (Gillian Flynn) para este destaque.
Este foi o livro que mais me surpreendeu em 2016 e portanto, a escolha mais óbvia para o Melhor Livro do Ano. Ele supera os demais livros em complexidade e genialidade de enredo, chocando o leitor com acontecimentos e um final nada óbvio.
  
5. Pior livro do ano:
Não preciso pensar muito para escolher o pior do ano, pois Um Dia (David Nicholls) ganha com folga. Este livro foi escolhido pelo clube de leitura do Blog Na Estante, mas acabou sendo uma grande decepção para todos. Levei um tempão para terminá-lo e acabei pegando uma antipatia muito grande por esta história, foi realmente um "desprazer em conhecer".

6. Melhor trilogia/série/saga lida no ano:
Com certeza foi Jogos Vorazes. Muitas das séries que li tem seus livros bons e ruins, seus altos e baixos, mas a trilogia de Suzanne Collins me agradou por completo, gostei de todos os livros e por isso, eles recebem a estrelinha de melhor trilogia/série/saga de 2016. 🏆🏆🏆
    
Melhor LivroPior LivroMelhor Trilogia/Série/Saga
7. Livro com a melhor narrativa:
Divergente (Veronica Roth) foi o que mais me agradou em questão de narrativa. A autora explicou muito bem as coisas, não se perdeu descrevendo bobagens, não deixou pontas soltas e por isso, me senti realmente "em casa" com a narrativa de Tris, aproveitando cada momento que ela vivenciou. Gostei bastante desse livro.

8. Autor(a) mais lido(a):
Tenho um empate quádruplo aqui hahaha. Li exatos três livros dos seguintes autores: Suzanne Collins, Jerry Jenkins, Julia Quinn e Sarah Pinborough. 

9. Livro(s) que entrou(aram) para os favoritos:
Toda a Trilogia Jogos Vorazes (Suzanne Collins) e os dois primeiros livros da Trilogia O Agente (Jerry Jenkins). 

10. Melhor protagonista (homem e mulher):
O prêmio de melhor protagonista homem fica com meu doce e lindo Peeta, que foi ele mesmo o máximo que pôde na Trilogia Jogos Vorazes (Suzanne Collins), apesar dos jogos e da capital quererem transformá-lo em outra coisa. Adoro o seu bom coração e a sua doçura ♡ quero muito um Peeta pra mim. 😍😍
Já como destaque feminino, apesar de gostar muito da Catnip, considerei a Sophie como real merecedora do prêmio de melhor protagonista do ano, porque para aguentar o insuportável do Benedict em Um Perfeito Cavalheiro (Julia Quinn), ela precisou ter muita fibra. Tiro meu chapéu para sua persistência em manter seus valores e defender o que acha verdadeiramente correto, nem em um milhão de anos Benedict vai merecer uma mulher como ela. 

11. Pior protagonista (homem e mulher):
Ever da Série Os Imortais (Alysson Nöel), e Benedict de Um Perfeito Cavalheiro (Julia Quinn). Ambos foram os que mais me irritaram em 2016, acho que nunca xinguei tanto um protagonista como fiz com eles. Só lendo as respectivas resenhas para entender, porque, vou te contar, dá raiva só de lembrar, kkkk. 
Melhor NarrativaMelhor Protagonista Mulher e Pior Protagonista HomemPior Protagonista Mulher
12. Melhor personagem secundário:
Uriah, da Trilogia Divergente (Veronica Roth), o personagem mais encantador, fofo e gato (veja as descrições desse garoto, ele é lindo) que conheci em 2016. É difícil um personagem secundário marcar presença para mim, mas o Uriah realmente conseguiu me encantar. ♡ 

13. Melhor vilão:
O vilão de Garota Exemplar (Gillian Flynn), que não vou revelar no momento para não dar spoiler, mas que superou todos os outros vilões que conheci em 2016. Sua genialidade é de fazer cair o queixo, não tem como não se impressionar com sua crueldade e inteligência. 

14. Livro com a melhor capa:
Com certeza os livros da Trilogia Encantadas (Sarah Pinborough).  Nenhuma capa de livro do ano passado superou a belíssima arte desta trilogia. Vale a pena conferir, pois além das capas, as histórias também são bem legais. 

15. Livro com a pior capa:
Com absoluta certeza é Despertada (PC Cast e Kristin Cast), que apesar de ter postado a respectiva resenha neste ano, foi lido em Dezembro/2016.
Não gosto das capas da Série Morada da Noite, acho que eles poderiam ter ousado bem mais nas artes de todas as capas, devido ao tipo de história que é abordado. Como Despertada foi o único livro da série que li no ano passado, ele sofrerá sozinho desta vez, rsrsrs, mas enquanto estiver lendo esta série, os respectivos livros certamente entrarão na linha de tiro das piores capas. 

16. Melhor casal:
Anthony e Kate, de O Visconde que me Amava (Julia Quinn), levam o destaque de melhor casal. Gostei da forma que a autora criou ambos os personagens e principalmente, como eles chegaram a ficar juntos. Sou toda amores por este casal e só elogios para este livro. ♡ 
Melhor CapaPior CapaMelhor Casal
17. Pior casal: 
Dúvida cruel entre Ever&Damen (Série Os Imortais) e Emma&Dexter (Um Dia). Todos os quatro personagens são muito irritantes, o que torna seus romances mais irritantes ainda. Entretanto, para ser justa e colocar um só casal em destaque, escolho Emma e Dexter como o pior casal que conheci em 2016, porque o romance deles vai além do irritante, é quase intragável. 

18. Melhor livro religioso: 
A Reação (Jerry Jenkins), segundo livro da Trilogia O Agente, uma ficção evangélica que realmente merece este destaque. O primeiro livro foi TOP, mas o segundo conseguiu superá-lo; o fechamento da trilogia é muito bom também, mas não conseguiu superar A Reação. Recomendo! 

19. Melhor releitura do ano: 
Jogos Vorazes (Suzanne Collins). Primeiro livro da trilogia de mesmo nome, que reli para relembrar os acontecimentos e poder conferir os demais livros da trilogia na sequência. Gosto muito deste livro, foi uma excelente releitura!


20. Melhor livro de não-ficção:
Os Colegas de Anne Frank (Theo Coster). Não foi uma leitura "excepcional", mas em comparação com os outros não-ficção que li, foi o melhor do ano.


21. Primeiro e último livro lido no ano:
Meu primeiro livro do ano foi Jogos Vorazes, de Suzanne Collins e o último livro foi Muito Barulho por Nada, de William Shakespeare. Fico feliz por ter começado e terminado o ano de 2016 com tão boas leitura.
Melhor Livro ReligiosoMelhor não-ficçãoÚltimo livro lido em 2016
Espero que tenham gostado da TAG e dos meus destaques do ano que se passou. Se resolverem responder esta TAG em seus respectivos blogs, postem o link nos comentários para que eu possa conferir 💛 quem sabe assim, acabo encontrando bons títulos para ler este ano. E apesar de já ser um pouco tarde para felicitações de ano novo, desejo a todos um 2017 cheio de boas leituras e destaques. ♡
Beijos e até um próximo post.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário