Fanfic Coração Gelado

Não deixe de conferir esta fanfic baseada na Saga Crepúsculo

Clube de Fanfics

Não deixe de conferir esta fanfic baseada nos personagens do Nyah!Fanfiction

19 de jun de 2017

Estréia da Série Alestia, Em Breve

Passando rapidinho para avisar que, em breve, teremos a estréia da Série Alestia em livro físico ♡♡♡.
Previsão para o final de agosto ou comecinho de setembro. Assim que a data definitiva surgir, retornarei para anunciar.
Mais informações serão postadas no blog oficial da série. Visite: http://seriealestia.blogspot.com.br

#Valorize #LiteraturaBrasileira #NãoPerca

17 de jun de 2017

Resenha - O Restaurante no Fim do Universo


O que você pretende fazer quando chegar ao Restaurante no Fim do Universo? Devorar o suculento bife de um boi que se oferece como jantar ou apenas se embriagar com a poderosa Dinamite Pangaláctica, assistindo de camarote ao momento em que tudo se acaba numa explosão fatal?
A continuação das incríveis aventuras de Arthur Dent e seus quatro amigos através da Galáxia começa a bordo da nave Coração de Ouro, rumo ao Restaurante mais próximo. Mal sabem eles que farão uma viagem no tempo, cujo desfecho será simplesmente incrível.
O segundo livro da série de Douglas Adams, que começou com o surpreendente O Guia do Mochileiro das Galáxias, mostra os cinco amigos vivendo as mais inesperadas confusões numa história cheia de sátiras, ironia e bom humor.
Com seu estilo inteligente e sagaz, Douglas Adams prende o leitor a cada página numa maravilhosa aventura de ficção científica combinada ao mais fino humor britânico, que conquistou fãs no mundo inteiro. Uma verdadeira viagem, em qualquer um dos mais improváveis sentidos.

Resenha - Vida e Morte, Crepúsculo Reimaginado

SINOPSE
Quando Beaufort Swan se muda para a melancólica cidade de Forks e conhece a misteriosa e atraente Edythe Cullen, sua vida dá uma guinada emocionante e apavorante. Com a pele de porcelana, os olhos dourados, uma voz hipnótica e dons sobrenaturais, Edythe é ao mesmo tempo enigmática e irresistível. O que Beau não percebe é que, quanto mais se aproxima dela, maior o perigo para ele e para os que o cercam. E pode ser tarde demais para voltar atrás... Em comemoração ao aniversário de 10 anos da publicação de Crepúsculo nos Estados Unidos, Stephenie Meyer fez Vida e Morte, uma corajosa releitura da icônica história de amor que vai surpreender e encantar os leitores. Esta edição especial dupla inclui ainda um prefácio da autora e o romance original na íntegra.
Aqui estou eu, alegremente, depois de ter lido a edição de aniversário da Saga Crepúsculo, onde somos apresentados à Edythe e Beau. Ao contrário do que muitos pensam, "Vida e Morte" não é a mesma história de Crepúsculo e os protagonistas, na verdade, não são os personagens em posições trocadas. Apesar da ideia inicial ter sido esta e do marketing alegar isso, Stephenie Meyer foi além do "trocar os personagens de lugar", ela criou vida e personalidades próprias para eles, portanto, ao conhecer Beaufort (Beau), percebi que em nada se parecia com Bella ou com Edward, e o mesmo aconteceu com Edythe.

Beau é um jovem com os hormônios a flor da pele, um garoto bastante comum que teve o famoso "estirão de crescimento", e, por isso, é totalmente desengonçado. Gostei muito do novo personagem principal, pois diferente de Bella, ele sabe que é bonito, não tem aquela chatice de autopiedade e seu lado destrambelhado tem uma justificativa  bastante aceitável.

Ele é um personagem muito divertido, e uma das minhas partes preferidas é seu ótimo envolvimento com o pai, diferente de Bella que nunca deixava Charlie se aproximar e participar de sua vida (Charlie foi basicamente um peso morto na Saga original). Edythe Cullen também não é nada parecida com Edward e passa longe de ser uma vampira sexo frágil. Ela tem personalidade forte, sabe o que quer e vai atrás do que quer sem remorsos, sem ficar dialogando sobre o destino de sua alma, como Edward fazia.

A história em si tem uma essência parecida com a da saga original, com relação ao humano descobrir que o outro é um vampiro, mas como disse antes, Vida e Morte possui a mesma essência, mas não é "igual". Um dos pontos mais fortes do livro, em minha opinião, é a forma como a tia Steph abordou os assuntos de uma forma diferenciada, respeitando as novas personalidades de seus personagens e o fato do Beau ser um garoto, o que o levou, portanto, a não fazer as mesmas escolhas que a Bella.

No início, confesso que foi difícil me acostumar com os novos nomes, mas quando percebo que eles possuíam personalidades e vidas próprias, foi mais fácil "separar" Bella e Edward de Beau e Edythe, e curtir a história até o final.

E falando em final, vale mencionar que a edição comemorativa possui um desfecho totalmente diferente de Crepúsculo e muito, muito, muito interessante. Fiquei de queixo caído ao ver tudo acontecer de forma diferente, e morrendo de vontade de dar spoiler no Twitter, só pra ver se alguém já tinha lido e se queria conversar a respeito, hahaha. A mudança no desfecho foi feita com a intenção de responder ao "e se" que ficou na mente de muitos leitores ao ler a saga original, mas acredito que também tenha sido uma forma de deixar o enredo num beco sem saída, sem possibilidade para continuar, já que é apenas uma edição de aniversário. 

Olha gente, confesso que sou só elogios com esta história. Eu já tinha gostado da saga original (com exceção de Lua Nova), mas Vida e Morte superou minhas expectativas e me envolveu de uma forma muito mais gostosa. Desta vez, confesso que fiquei com ressaca literária ♡
Mensagem: Vida e Morte me passou uma mensagem parecida com a de Crepúsculo, de que todos são dignos de serem amados, mesmo sendo alguém destrambelhado ou pouco descolado. Beau não se considerava um patinho feio, mas devido ao seu tamanho, era destrambelhado e paga alguns micos vez ou outra. Ele era, obviamente, o garoto menos descolado da escola, mas isso não o isentou de encontrar um par, um amor de verdade. Acho que esta é uma boa lição para o público teen, a de que não precisamos nos adequar aos "padrões" dos outros para sermos especial. Somos especiais em nosso próprio jeitinho. 
Opinião Final: Recomendadíssimo! Gostei da história original do Crepúsculo, mas gostei mais ainda dessa versão, por muitos fatores. AMEI.

16 de jun de 2017

TAG - Curiosidades Literárias


Olá pessoal. Hoje trouxe uma tag que vi no blog Razões Literárias, achei muito bacana e resolvi respondê-la também. *Foto de título oficial do Razões Literárias. Vamos lá?

1. Se pudesse ser um personagem por um dia, qual seria?
Sem pensar duas vezes, eu seria Elizabeth Bennet. Viver na época dela todos os dias eu, particularmente falando, dispenso, mas por um dia seria um sonho, com certeza! Eu adoraria estar na pele da Lizzie no momento em que ela percebe (mais para o final do livro) que tudo o que Darcy fez foi por ela, porque a ama.

2. Qual seu autor(a) favorito(a)? O que te faz gostar tanto dele(a)?
Tenho poucos autores favoritos (bem poucos mesmo), e a autora que vou destacar aqui será Jane Austen. Ela se tornou minha favorita por conta do livro "Orgulho e Preconceito", que por sinal, sempre tento encaixar em minhas respostas às tags e conversas literárias, hahaha.

3. Você ouve música enquanto lê?
Não tenho o costume de ouvir músicas, são realmente raros os momentos em que ouço alguma coisa.

4. Você costuma ler vários livros ao mesmo tempo?
Sim, comecei a ler vários livros ao mesmo tempo desde o começo deste ano. Eu não gostava disso, achava confuso, mas agora já me adaptei e acho a atividade muito intrigante.
Dizem que é um bom exercício para o cérebro.

5. Você é bom em indicar livros para as pessoas?
Não sei. Eu sempre indico os livros que eu gosto, mas nem sempre as outras pessoas gostam do meu gosto, então fica difícil saber se sou boa nisso.

6. Com quantos anos começou seu vício pela leitura?
Com 16 anos. Meio tarde, em minha opinião, mas é como diz o ditado: "antes tarde do que nunca". Lembro da situação como se fosse ontem: minha amiga de colégio estava lendo Otelo (William Shakespeare) e estava amando, perguntei como era a história e ela me apresentou um resumo, mas sem spoiler, e disse que me emprestaria assim que terminasse. Ela terminou, me emprestou, eu li, me envolvi de tal forma com a história, que nunca mais parei de ler. ♡

7. Qual foi o primeiro livro (excetuando-se os infantis) que você leu na sua vida?
Marcadas Pela Diferença de Janette Oke.
Foi o primeiro livro de verdade que eu ganhei, em 2003, dos meus tios (muitos anos antes de eu ler Otelo). Eu achei que o tinha perdido no decorrer dos anos, mas o reencontrei recentemente e fiquei muito feliz em tê-lo de volta. 💙💚💛💜

8. Você escreve ou não tem tanta habilidade para isso?
Eu escrevo e acredito ter talento sim.
Comecei a escrever primeiramente fanfics, devido ao estouro da Saga Crepúsculo, e acabei pegando gosto pela atividade. Atualmente, já trabalho em histórias 100% minhas.

9. O que seus amigos costumam dizer sobre seu vício em ler?
Pouquíssimos deles são como eu, infelizmente, então sempre se surpreendem com minha paixão por livros e com a velocidade com que leio (e eu nem sou tão veloz assim). Os que gostam de ler me compreendem totalmente, mas meus pais acham que jogo dinheiro fora, não por comprar livros, mas por compra mais do que consigo ler. 😜😂

10. As pessoas ficam impressionadas quando veem sua estante?
Sempre. Todos eles ficam chocados com a quantidade. Isso porque eu nem guardo todos os que leio, somente os meus favoritos e os que ainda estão por ler (não guardo todos por falta de espaço).

11. Você grava nome de autores ou nem presta muita atenção nisso?
Só gravo os nomes dos meus autores favoritos, que até o momento se resumem a 4. Não sou muito boa para guardar nomes. 😛

12. Cite um livro que você gostaria que virasse filme.
O meu, serve? Rsrsrsrs, se não servir, cito O Desafio do Pantanal, da Série Vaga-lume. Este livro é muito legal, muito bom mesmo, acho que renderia um filme eletrizante.

13. Costuma ficar muito tempo em ressaca literária?
Mais ou menos. Não fico de ressaca em muitos livros, só quando ele é bom mesmo, top de linha (segundo o meu gosto, é claro). Já cheguei a ficar uma semana e meia de ressaca, sem sequer tocar em outro livro, mas não considero isso como "muito tempo".

14. O que é bom para sair da ressaca literária: seu livro favorito ou um livro bem levinho?
Um livro leve, senão, vai emendar uma ressaca na outra e nada em minha vida vai fazer mais sentido. 😶📚

15. Indique alguém para responder a tag!
Indico a todos os que quiserem. 🙈🙉🙊

24 de fev de 2017

Resenha - Pó de Lua

NÃO POSSUI SINOPSE
"Em 2011, discretamente, a publicitária Clarice Freire criou no Facebook uma página para reunir seus escritos e desenhos. Batizou-a como 'Pó de Lua', sua receita infalível 'para tirar a gravidade das coisas'. Desde então, ela vem conquistando uma legião de fãs fiéis e engajados, que se encantaram com a delicadeza de seus pensamentos, seu humor sutil e o traço despretensioso, que combina desenho e até fragmentos de palavras. Entre eles, estão personalidades como a atriz Grazi Massafera e a apresentadora Ticiane Pinheiro. Da internet para as páginas de um livro, foi mais um salto para a jovem autora recifense. Ela surpreende seus admiradores com uma proposta diferente. Pó de lua, o livro, tem o formato de um dos cadernos moleskine em que Clarice exercita sua criatividade. Inspirada pelas quatro fases da lua - minguante, nova, crescente e cheia - ela trata em frases concisas e certeiras de sentimentos como a saudade, o medo, a paixão e a alegria, sempre em sua caligrafia característica, ilustradas com muitos desenhos." [SKOOB]

Proxima  → Página inicial